2020-05-13

COVID-19 | Estão a reabrir algumas feiras e mercados de proximidade, exemplo que deve ser seguido para salvar a Agricultura Familiar

 

No seguimento das medidas de desconfinamento que têm vindo gradualmente a ser adoptadas nas últimas semanas, alguns Municípios do país definiram datas para a reabertura dos mercados e feiras de produtos agrícolas, uma importante medida de apoio ao escoamento da produção da agricultura familiar e da alimentação de qualidade e de proximidade 

Alguns exemplos de reabertura são o Mercado dos Agricultores em Pombal agendada para o dia 18 de Maio, a Feira da Palhaça (Oliveira do Bairro) que reabre dia 12 de Maio, sendo que só é permitida venda de produtos alimentares, o Mercado de Arganil no dia 21 de Maio, destinado, numa primeira fase, somente à venda a produtores agrícolas do concelho, assegurando o escoamento da pequena produção familiar da região. Também no Fundão, os mercados da cereja já se encontram em funcionamento desde o dia 9 de Maio, para conseguirem escoar o produto de excelência do concelho. Em Viana do Castelo, o Mercado reabriu dia 12 de Maio, também destinado apenas a produtos agrícolas.  

Esta reabertura de feiras e mercados agrícolas de proximidade deve servir de exemplo a todas as autarquias nacionais, na medida em que apoiam e ajudam a salvar muitas explorações agrícolas familiares. Além disso, esta é uma reivindicação da CNA desde o início da pandemia, pois é através deles que os pequenos e médios agricultores conseguem escoar os seus produtos, fazendo com que todos os compradores possam ter acesso a bens alimentares de qualidade e opcção de escolher onde e a quem comprar os alimentosNa opinião da CNA, não existiu uma justificação plausível para encerrar mercados de produtos alimentares, quando as grandes superfícies mantiveram sempre o seu funcionamento.  

Nunca esquecendo o momento delicado que atravessamos, todos devem ser responsáveis, adoptando as medidas de higiene e segurança exigidas, para que o futuro se torne mais sorridente para todos os vendedores e clientes. 

Associadas a estas reaberturas estão regras de higiene e segurança que têm obrigatoriamente de ser cumpridas quer por vendedores, quer por compradores, devido à actual pandemia da COVID-19. Tais como o uso de máscara para vendedores e público, instalação de dispensadores para desinfecção das mãos, marcação dos lugares destinados aos vendedores e entradas de clientes controladas.