Comissão de Populares para a Defesa da Floresta e do Mundo Rural apresentou objectivos

A Comissão de Populares para a Defesa da Floresta e do Mundo Rural dos concelhos de Pombal e Pinhal Interior Norte do distrito de Leiria apresentou os seus objectivos no dia 17 de Julho.

Na sessão, que decorreu na Cooperativa Agrícola de Pombal, foram apresentados os objectivos da Comissão com a leitura do Manifesto com os seguintes pontos:

- Pelo cumprimento da lei de bases da floresta, nomeadamente a revisão dos Planos Regionais de Ordenamento Florestal e dos Planos de Gestão Florestal, cuja sujeição a ampla discussão pública alargada é imprescindível.

- Pela implementação urgente do cadastro rústico actualizado sobre todo o território nacional.

- Pelo reforço dos meios humanos e financeiros para a defesa da floresta do ICNF, nomeadamente com a criação de equipas de sapadores florestais e a reconstituição do Corpo de Guardas Florestais.

- Por medidas de apoio à produção agrícola, à valorização dos produtos locais, à dinamização dos mercados tradicionais, à melhoria dos rendimentos dos pequenos agricultores e pela implementação da Carta da Agricultura Familiar.

- Pela defesa da propriedade comunitária dos Baldios e das comunidades de Compartes na administração e gestão dos Baldios segundo os usos e costumes.

- Por defender a biodiversidade e o equilíbrio ambiental, nomeadamente das espécies autóctones.

A CNA esteve representada nesta sessão por Isménio Oliveira que fez uma intervenção sobre a necessidade da valorização dos pequenos e médios agricultores e produtores florestais e da sua actividade, por parte do Governo e da União Europeia.

O dirigente da CNA salientou que se espera que o Estatuto da Agricultura Familiar a publicar pelo Governo sirva efectivamente os pequenos e médios agricultores, com uma valorização do papel da mulher agricultora e acrescentou que é necessário que o Governo tome medidas efetivas em defesa da Floresta Portuguesa, como por exemplo a realização do Cadastro Florestal, a revisão dos PROF´s e uma outra “Reforma Florestal”.

O encontro contou com a presença de cerca de 30 pessoas e teve um espaço de debate muito participado.

No final, houve inscrição de novos membros na Comissão de Populares para a Defesa da Floresta e do Mundo Rural.